Nova falha da Saúde expõe dados de mais de 200 milhões de brasileiros

Uma nova falha de segurança no sistema de notificações de covid-19 do Ministério da Saúde deixou expostos na internet, por pelo menos seis meses, dados pessoais de mais de 200 milhões de brasileiros.

Não foram apenas pacientes com diagnóstico de Covid-19 que tiveram sua privacidade violada, como ocorreu em outro caso de exposição denunciado pelo Estadão na semana passada. Desta vez, ficaram abertas para consulta as informações pessoais de qualquer brasileiro cadastrado no SUS ou beneficiário de um plano de saúde.

Covid-19: vazamento na Saúde expõe dados de 16 milhões de pessoas

Pelo menos 16 milhões de brasileiros que tiveram diagnóstico suspeito ou confirmado de covid-19 ficaram com seus dados pessoais e médicos expostos na internet durante quase um mês por causa de um vazamento de senhas de sistemas do Ministério da Saúde, revela nesta quinta-feira (26) o jornal O Estado de S. Paulo.

Entre as pessoas com informações expostas estão o presidente Jair Bolsonaro, os ministros Eduardo Pazuello (Saúde), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), o governador João Doria (PSDB-SP) e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Rede D’Or prioriza adequação à LGPD

Com mais de 50 hospitais e 40 clínicas oncológicas, o grupo contratou ferramentas para realizar o mapeamento e fluxos de dados pessoais, gerenciamento do consentimento de pacientes, atendimento aos titulares, gestão de cookies e políticas em todos os portais do grupo junto à Privacy Tools, uma PrivacyTech brasileira.

Continue lendo…

Identidade digital pode solucionar os problemas de privacidade e de cumprimento a leis?

Empresas em todo o mundo estão enfrentando as consequências das regulamentações de privacidade de dados. Reunir informações incorretas e informações demais pode gerar risco de conformidade.

Sistemas de identidade digital prometem remover o fardo de complacência e gerar novas oportunidades ao devolver o controle dos dados pessoais à população.

Saúde e MPDFT assinam termo de cooperação para compartilhar informações e soluções

A Secretaria de Saúde assinou, nesta quarta-feira (1°), um termo de cooperação técnica com a Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), para compartilhamento de informações, sistemas e soluções de Business Intelligence (BI) que ofereçam suporte a gestão. Com isso, a iniciativa prevê um apoio técnico-institucional mútuo entre as instituições pelo período de 60 meses.

Proteção de dados, LGPD e as instituições de saúde

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais – LGPD, como claramente determina seu texto, regulamenta o “tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade”. Em que pese a proximidade da sua entrada em vigor, há uma movimentação ainda tímida das organizações de saúde em busca de adequação. Essa timidez decorre em grande parte do desconhecimento acerca da abrangência da norma, do seu enforcement e da sua aplicabilidade.

As diretrizes da HIPAA para proteção de dados sensíveis na telemedicina durante a pandemia da Covid-19

A legislação Norte – Americana chamada HIPPA (Health Insurance Portability and Accountability Act de 1996) direciona e orienta todos que atuam com dados médicos. Seu objetivo é evitar vazamento de informações e ameaças a conteúdos íntimos de pacientes. Apesar de tratar-se de norma estrangeira, seus critérios de proteção de dados são utilizados mundialmente como diretrizes para programas usados pela telemedicina.

[infográfico] Testagem e monitoramento de saúde contra COVID-19

Infográfico do IAPP sobre as considerações a se fazer ao implementar ferramentas baseadas em dados pessoais para controle da COVID-19.

Via IAPP